218 views | Destaque | Atualizado em: 20/03/2018

Após morte da jovem Núbia, familiares e amigos fazem protesto e pedem apuração da morte após atendimento da Upa

Família e amigos querem saber o que provocou a morte da jovem.

Por: Rovilson Sousa

Familiares e amigos da jovem Núbia, da vila do Tentugal, fizeram um protesto pela morte dela na tarde desta segunda-feira, (19) em Capanema, cobrando a apuração das causas da morte da jovem, segundo os organizadores, cerca de 500 pessoas participaram com o objetivo de clamar por justiça no caso da morte da jovem Núbia, Os semblantes de tristeza ainda evidenciam o sentimento de incredulidade de amigos e parentes com a morte da Jovem que faleceu na última sexta-feira (16) quando estava a caminho do Hospital de Paragominas onde passaria por uma cirurgia de emergência de apendicite, mas que, devido a possível demora em transferi-la, a apêndice supurou, e ela não conseguiu chegar a tempo de receber atendimento.

Durante a manifestação familiares e amigos da jovem, e pessoas que também já passaram por situação semelhante à que ela passou na Unidade Pronto-Atendimento (UPA), em Capanema cobraram das autoridades respostas concretas e melhorias na saúde, que hoje se encontra precária em Capanema, segundo os manifestantes.

Durante o ato que percorreu as principais ruas do centro de Capanema, foi cobrada a implantação do tão sonhado Hospital Regional, que está sendo construído no antigo prédio do Hospital São Joaquim, que na verdade será transformado em Hospital Materno Infantil, sendo que hoje, a cidade carece de um hospital de alta e média complexidades para atender a grande demanda de pacientes, uma vez que a cidade de Capanema é  polo regional que atende mais de 20 municípios, até do estado vizinho do Maranhão.

Quanto ao caso Núbia, segundo informações de familiares, o corpo da jovem passou por necropsia no IML [Instituto Médico Legal] de Belém, e o resultado final sairá em até 40 dias, mas ainda de acordo com uma fonte da família, a equipe médica do IML teria adiantado que a possibilidade de ter sido apendicite supurada não está descartada.

 

– Poderia ter acontecido com qualquer outra pessoa. E isso mostra o grau de negligência e de omissão com a saúde pública. Estamos arrasados.

O Ministério Público de Capanema está acompanhando o caso de perto e ainda na madrugada de domingo um representante do MP foi até a residência da família de Núbia, na vila do Tentugal, onde ocorria o velório, juntamente com uma equipe do IML, solicitar que o corpo fosse removido e enviado para Belém, para passar por uma necropsia mais aprofundada com a finalidade de exclarecer a causa exata de sua morte.

 

ÚLTIMOS POST's