21 views | Not-Geral | Atualizado em: 10/01/2018

Comércio paraense mostra recuperação

Vendas do varejo cresceram 2,2% em novembro em relação a outubro

As vendas do varejo paraense cresceram 2,2% em novembro na comparação com outubro, depois de recuarem 1,8% no mês anterior. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse foi o melhor novembro para o setor no Estado desde 2006, quando a alta nas vendas havia sido de 2,8%. Em todo o País, o volume de vendas do comércio varejista aumentou 0,7%, depois do decréscimo registrado em outubro, de 0,7%. Apenas em 2011, a alta de vendas nesse mesmo mês foi superior: 1,1%.

No geral, 24 das 27 Unidades da Federação registraram avanço no volume de vendas do varejo frente ao mês imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal. Minas Gerais (6,8%), Maranhão (3,9%) e Pernambuco (3,9%) registraram as maiores taxas em termos de magnitude. Já Tocantins (-1,8%) se destacou entre os Estados com variações negativas frente a outubro.

O aumento das vendas do varejo do Pará em novembro (2,2%) repete o desempenho positivo da maioria dos meses do ano passado. Em janeiro de 2017, foi registrada a maior variação mensal (2,4%). Nos meses seguintes a PMC apontou altas de 1,0%, em fevereiro; 2,0%, em março; 0,7%, em abril; 0,5%, em maio; 1,7%, em junho; 0,6%, em julho; 1,2%, em agosto; 1,2%, em setembro; e -1,8%, em outubro. As oscilações ao longo de 2017 mostram um quadro de recuperação do setor no Estado, uma vez que em 2016, nove dos 12 meses apresentaram resultado negativo.

Já na comparação com novembro de 2016, o comércio varejista do Pará registrou alta expressiva, de 11,4%, mantendo o ritmo de alta dos seis meses anteriores, que interromperam o movimento decrescente dos 18 meses anteriores. Em todo o País, a variação foi de 5,9%, oitava taxa positiva consecutiva no ano, com crescimento em 23 das 27 Unidades da Federação, com destaques, em termos de magnitude, para Santa Catarina (15,7%), Rio Grande do Sul (14,8%) e Mato Grosso (14,2%). Quanto à participação na composição da taxa do varejo, destacaram-se: São Paulo (4,7%) e Minas Gerais (12,6%).

Com mais esse resultado de novembro, o comércio varejista do Estado acumula índice de 1,0% nos onze meses de 2017 e de -0,70% nos últimos 12 meses – ambos em comparação com o mesmo período do ano passado. Em todo o País, as respectivas variações foram de 1,9% e 1,1%. Para efeito de comparação, em novembro de 2016, a variação acumulada no ano no Estado do Pará foi de -13,2% e no País de -6,4%. Ao longo de 12 meses, as respectivas variações foram de -12,7% e de -6,4%.

O comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, cessou o ritmo de queda observado ao longo de todos os meses do ano passado e no primeiro quadrimestre de 2017. A variação em novembro no Pará, sobre o mesmo mês do ano anterior, foi de 12,9% – repetindo a variação positiva de maio (4,7%), junho (3,1%), julho (6,9%), agosto (9,1%), setembro (13,3%) e outubro (11,5%). Considerando o acumulado do ano e dos 12 meses, o varejo ampliado do Pará apresentou crescimento de 3,3% no primeiro, e variação de 1,4%, no segundo.

Em todo o País, a oscilação positiva foi de 8,7%, com resultados positivos em 25 das 27 Unidades da Federação.

ÚLTIMOS POST's