155 views | Esportes | Atualizado em: 17/02/2017

Corinthians sofre na ponta e deverá reativar ‘função Jadson’ em breve

280972O treinador Fábio Carille ainda não afirmou de maneira definitiva qual será o posicionamento para Jadson na equipe do Corinthians. As circunstâncias, porém, têm levado o principal reforço da temporada justamente para o lugar em que viveu seu melhor momento com a camisa corintiana.

A função de ponta direita tem tido a maior rotatividade no setor de ataque, o que mostra que Carille não encontrou ainda o jogador ideal para aquele setor.

Titular na pré-temporada e nas duas primeiras partidas do ano, Giovanni Augusto oscilou bons e maus momentos até deixar a equipe por problemas físicos. Marquinhos Gabriel assumiu o lugar diante do Santo André, mas também não correspondeu às expectativas por enquanto – e foi outro a sair por desgaste.

Já na quarta passada, diante do Novorizontino, a escolha foi por um atacante de origem: Ángel Romero, como de costume, incomodou bastante a defesa adversária, mas não conseguiu ser efetivo. Até mesmo a alternativa mais ofensiva de todas, com Jô pela ponta direita e Kazim na área, testada de forma circunstancial, se mostrou pouco interessante até o momento.

Tudo parece mesmo conspirar para Jadson, em data ainda não conhecida, assumir justamente esse lugar no time. Na quinta-feira, dia seguinte à vitória contra o Novorizontino, o meia campeão brasileiro trabalhou com os reservas e foi observado pela comissão técnica exatamente na ponta direita.

A ‘função Jadson’ e as alternativas

280977

Idealizada pela comissão técnica de Tite, da qual Fábio Carille fazia parte como auxiliar, a “função Jadson” era peculiar no sistema tático. Sem a bola, ele trabalhava normalmente pelo corredor direito. Mas, com a posse dela, tinha liberdade para circular por todos os setores de ataque e surpreender a marcação. Na seleção brasileira, Tite tem repetido a mesma receita com Phillipe Coutinho.

Durante 2016, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel também trabalharam bastante no setor e, de alguma forma, tentarem reproduzir o papel que Jadson havia executado na campanha do título brasileiro. Os dois jogadores, porém, não conseguiram repetir o mesmo sucesso do veterano que havia partido para o Tianjin Quanjian-CHN.

Além da ponta direita, Carille pensa em mais duas alternativas para Jadson. A primeira delas seria efetivar o 4-2-3-1 como novo sistema tático e deixar o jogador centralizado, próximo ao centroavante e com liberdade para movimentação. Assim, em 2014, ele atuou no Corinthians de Mano Menezes. A última hipótese, bem mais remota, é usar o reforço pela ponta esquerda.

Enquanto Jadson não fica pronto…

Por ora, Carille deve repetir a dose com o paraguaio Romero, que aberto à direita teve alguns bons momentos na última temporada.

Sábado, em visita ao Audax, a equipe novamente jogará sem Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel, preservados por conta de suas condições físicas. Mas, entre os corintianos, a expectativa é mesmo por Jadson, principal reforço de 2017.

 

(Uol)

ÚLTIMOS POST's