129 views | Not-Geral | Atualizado em: 18/08/2017

Hemopa precisa de sangue para não afetar atendimento transfusional

Anualmente, a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) tem a complexa missão de crescer o número de novos doadores em 20%. O problema é que, nesse mês de agosto, a demanda por sangue cresceu mais do que o esperado e a quantidade de doações não acompanha essa necessidade. Uma realidade que é de todos os tipos de sangue. Nesta sexta-feira, 18, por exemplo, só havia uma bolsa de sangue dos tipos B- e AB+.

“Nos hospitais, diariamente temos centenas de pacientes precisando de sangue pra melhoria do quadro de sua saúde. Mas é necessário que essa demanda seja equivalente ao número de voluntários que, de maneira anônima, exercitam esse gesto de solidariedade. O desafio dos hemocentros brasileiros é o estímulo à doação espontânea e regular”, explica a gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias.

A gerente ressalta que todos são responsáveis pela questão do sangue. “O envolvimento de todos os seguimentos da sociedade é fundamental, principalmente da rede hospitalar. Muitas cirurgias deixaram de ser feitas no mês de julho, por conta das férias, e foram remarcadas para o mês de agosto. A co-participação do corpo clínico, dos familiares e amigos de pacientes faz toda a diferença para a manutenção do estoque de sangue suficiente para o atendimento da demanda do estado do Pará”, complementou.

Iniciativas – Com essa visão de crescimento, a instituição desenvolve uma série de ações, por meio de parcerias, campanhas, mobilização por telefone e redes sociais. Um deles é o Projeto Agente da Doação, uma estratégia utilizada para propagar informações corretas e precisas sobre a doação de sangue. “Reconhecemos o agente comunitário de saúde como referência para a comunidade onde atua. Esses profissionais já dão apoio para tantas campanhas, como vacinação e aleitamento; falar sobre doação de sangue será mais um bem que eles fazem para a sociedade”, ressaltou Juciara Farias. Somente em agosto, cerca de 200 agentes da Região Metropolitana de Belém serão capacitados.

Outra estratégia é a Caravana Solidária que consiste em levar, num micro-ônibus, grupos de até 30 voluntários à sede do hemocentro coordenador, em Belém. Há também as campanhas externas, realizadas com a utilização da unidade móvel (ônibus com sala de triagem, consultório e sala de coleta com capacidade de quatro doações simultâneas) ou em parceria com entidades e instituições, que recebem, em suas dependências, toda a estrutura do Hemopa: sala de triagem, de consulta médica e coleta, levando a mesma qualidade e conforto no atendimento efetuado na sede do hemocentro.

Serviço: As doações de sangue podem ser feitas na travessa Padre Eutíquio, 2.109, bairro de Batista Campos. As doações também podem ser feitas na Estação Coleta Castanheira que fica no térreo do Pórtico Metrópole, na BR-316, km 1. O horário de funcionamento é de 7h30 as 18h, de segunda a sexta-feira, e de 7h30 as 17h, aos sábados. Para mais informações ou participar de algum dos projetos desenvolvidos pelo Hemopa, é necessário entrar em contato por meio do 0800 280 8118 ou do e-mail captação@hemopa.pa.gov.br.

FUNDAÇÃO CENTRO DE HEMOTERAPIA E HEMATOLOGIA DO PARÁ

Endereço: Travessa Padre Eutíquio, 2109
Telefone: 9131106500
Site: www.hemopa.pa.gov.br

Assessoria de Comunicação
Fone: (91) 3241-1811
Email: imprensa.hemopa@yahoo.com.br

Por Jaqueline Menezes

ÚLTIMOS POST's